Problemas do motor Gravítico

Todo Projeto encontra dificuldades. O Motor Gravítico não é diferente.

Estas notas compilam uma série de possíveis problemas que esta ideia poderia ter, que podem evoluir para falhas críticas que tornam a ideia impraticável e inútil. Como gosto de dizer, o trabalho de descobrir falhas críticas é semelhante a garimpar ouro, você pacientemente trabalha com a ideia, tentando examiná-la de todo os ângulos, sempre se questionando

  • "Será que isto funcionaria de verdade?"

  • "Este comportamento está suportado por teoria ou pela experiência de outros no assunto?"

  • "O que pode ser feito para minimizar este risco?"

O trabalho nos Problemas do Motor Gravítico encontra-se em sua infância. Nós apenas compilamos uma lista de possíveis problemas, mas nenhum trabalho real foi feito no sentido de avaliá-los:

PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS

  • A autonomia é muito baixa;

  • Ação capilar nos impede de atingir pequenos deslocamentos;

  • A mesa oscila demais;

  • Não existe repetibilidade no movimento da mesa;

  • A água na verdade escapa de um lado da boia para o outro lado, e não conseguimos impedir isto.

QUESTÕES PRÁTICAS

  • O isopor não pode ser furado; o pino ou gancho fica escapando;

  • O motor é muito devagar para responder;

  • O barulho do motor (gotejamento em água) incomoda;

  • A água faz um splash nas lateriais do tubo ao inves de formar um bom menisco.

QUESTÕES DE VIABILIDADE

  • Com todos os componentes contabilizados, um Motor Gravítico sai mais caro que usar barras roscadas;

BANNER IMAGE CREDITS: ESA/Hubble & NASA, A. Filippenko, R. Jansen

Want to know more about this image? Follow this external link.